"UMA MENTE EXPANDIDA PELO CONHECIMENTO JAMAIS RETORNA AO SEU TAMANHO ORIGINAL"

"UMA MENTE EXPANDIDA PELO CONHECIMENTO JAMAIS RETORNA AO SEU TAMANHO ORIGINAL"

sábado, 7 de dezembro de 2013

MITHRA, O DEUS SOL INVICTO

Ao longo do curso da História, algumas religiões sincretizaram, adaptaram ou mesmo usurparam mitos mais antigos, cultos sumérios, egípcios, persas, entre outros. A religião judaico-cristã, fez desses expedientes para moldar seus mitos, símbolos e rituais, sendo que atualmente a maioria desses religiosos desconhecem a origem de seus cultos e ou comemorações.
 
 MITRAISMO

 Embora há muitas controvérsias sobre a etimologia de Mithra, sua origem remonta a Índia védica, sendo a versão persa seja a mais conhecida.
 
Para os hindus, desde 1380 a.C., tem uma face jurídico-sacerdotal, conciliadora, luminosa, próxima da terra e dos homens. Mitra é o Deus soberano sob seu aspecto racional, claro, regrado, calmo, benevolente, sacerdotal.

Para os persas, o mitraismo precede o monoteísmo zoroastriano.

O Sol é seu olho,  é um deus da luz, da aurora, guardião que socorre as criaturas, onisciente e vitorioso, metamorfoseando-o paulatinamente num deus guerreiro.
 
Mithra continua deus do contrato e do acordo (significado em Hindu) e assegura uma ligação entre os diferentes níveis da sociedade da qual é garantidor da ordem.
 
É um deus solar com mil olhos e orelhas e, um deus da fertilidade dos campos e dos rebanhos. Mithra seria filho de Anihata (Anahita), a gênia feminina do fogo, uma espécie de Virgem Imaculada, Mãe de Deus. 
Isis e o menino hórus 4.000a.C. / Maria e menino Jesus
Mithra se une a Ahúra Masda (deus supremo ou todo poderoso), a partir daí, é adorado como a luz que ilumina todo o mundo.
É Deus de forma humana, representado sob a forma de um jovem montado num touro e, com uma das mãos, empunha uma adaga para o degolar.

 Deus solar, também é representado com a cabeça de um Leão quando é saudado com o título de Sol invictus.

Seu dia sagrado, o Solis Invictus, é comemorado a 25 de Dezembro, mesma data do nascimento de Hórus e celebrando a“vinda da nova luz” (essa data é calculada pelas luas e pelos astros para cair no Solstício de Inverno, a noite mais longa do ano, pois o calendário que utilizamos, gregoriano, predominou há poucos séculos).
 
No século IV d.C, por ordem Papal, como as comemorações nodia 25 Dezembro eram populares, com banquetes e grandes festas, usurpou a data, sendo que a partir daquela data, seria comemorado o nascimento de Jesus e não mais o deus pagão Mithra.

 Mithra era considerado o “Filho de Deus”; filho de Ahura Mazda, recebeu a incumbência de matar o touro primordial, matar o touro é o motivo principal do culto mitraico.

Mithra nasce em uma gruta e o céu é sua casa.
Era chamado de “A Verdade”, “A Luz”.

A cena possivelmente se passa numa gruta. Um corvo, mensageiro do sol, está quase sempre na borda do rochedo.

Vê-se ainda um cão se aproximando para beber o sangue da vítima, uma serpente enroscada dentro de uma pequena cratera e ao redor de um recipiente, um leão ameaçador, espigas de trigo sobre o rabo do touro e um escorpião que pica os testículos do animal morto.

Mitra passa a ser representado como um general militar. É o Amigo do homem durante a sua vida e seu protetor contra o mal após a sua morte.

Por mais de trezentos anos, os romanos adorarão Mitra, No final do século III, Mitra era adorado da Escócia à Índia, chegando até a oeste da China, onde era conhecido como Amigo, nome que indica uma filiação védica.

MITHRA & CRISTIANISMO

Os pontos comuns entre o cristianismo e o mitraísmo são inúmeros:

O nascimento de Cristo é anunciado por uma estrela assim como o de Mitridate Eupator.
 
Ambos são nascidos de uma Virgem Imaculada que toma o nome de Mãe de Deus.

A caverna, a gruta são os locais de nascimentos tanto de Cristo quanto de Mitra.

A presença de pastores e de seu rebanho também estão presentes em ambos os nascimentos.

O ouro, símbolo do Sol, tem uma importância crucial na liturgia cristã.

Deus é Amor mas também Luz. Comemora-se o nascimento dos dois deuses em 25 de dezembro (embora Jesus tenha nascido provavelmente em março) solstício de Verão no Hemisfério Norte.
 
A vontade de neutralizar as potências do mal, a guerra entre as duas potências e a vitória do Bem.

A consagração do pão e do vinho estão presentes entre os cristãos e os iniciados de Mitra.

No grau de Soldado (Miles), o iniciado é marcado com uma cruz de ferro em brasa sobre a fronte ( a marca da besta).

A imortalidade da alma e a ressurreição final.


A fonte jorrando da rocha, a utilização de sinos, os livros e as velas, a água santa e a comunhão.
 

A insistência numa conduta moral, o sacrifício ritual, a angeologia, a teologia da luz, dualidade deus-diabo, o fim do mundo e o apocalipse são também comuns em ambas as religiões.
 
 Alguns afrescos, encontrados na parte mais central do Mithraeum (templo subterrâneo de adoração), representam Mitra com a cabeça voltada para o alto ou para o lado, significando desgosto com o que está fazendo.
 

As missas são celebradas no Domingo de manhã (fora da tradição judaica do Sábado), O Dia do Sol, a Igreja latina alterou os nomes dos dias justamente por esse motivo, o Sunday, virou domínicas, dia do senhor).
 
O chapéu que os papas, cardeais e bispos usam chama-se Mitra e o templo maior de Mithra ficava em um lugar conhecido como Colina Vaticano, que também foi “substituído” pela Igreja principal católica.
 

 POR QUE MATAR O TOURO?

Várias civilizações associavam o touro poder e força, vigor, desde o Minotauro que foi morto por Terseu, na Grécia antiga, às touradas atuais ou aos rodeios, ou mesmo o churrasco aos domingos, a figura do touro é central.
Influência de Mithra na Grécia

Entretanto, há outra explicação, a cósmica: a precessão dos equinócios, literalmente um círculo imaginário, riscado na esfera celeste pela projeção do eixo de rotação terrestre, resulta de um movimento vagaroso para trás ao longo do zodíaco, passando sobre uma constelação do zodíaco a cada Era de 2.160 anos (aproximadamente) e percorrendo todo o zodíaco a cada 25.920 anos ( O grande ano).
 
Vivemos atualmente sobre o final da constelação de Peixes (Era de peixes), por isso o símbolo de peixes é muito usado no cristianismo, mesmo sendo um símbolo pagão de origem suméria.
 
Símbolo do zodíaco criado pelos sumérios há +- 6000 anos.
Em algumas dezenas de anos, estaremos entrando em Aquário.

Doc. Zeitgeist dublado (link)
Em Áries de 2000 a.C. até o nascimento de Cristo, com Moisés, sendo a figura do carneiro também bastante usada na mitologia hebraica, os judeus até hoje assopram o chifre do carneiro, shofar, num ritual, também se usou essa simbologia na alegoria de que Moises ao descer do monte Sinai depara se com seu povo adorando o bezerro, que representava a Era passada, e Moises se enfurece.
 
Entre 4.000 a 2.000 a.C., mais ou menos, A Era de Touro, assim matando o animal, representa o fim da Era de Touro, início da Era de Aries, Mitra, o deus Todo-Poderoso, que poderia reger e mudar todo o sistema cósmico.


Assim como a maçonaria foi a religião clandestina da 3ª República Francesa, o mitraísmo sustentava subterraneamente a ideologia da Roma Imperial.
 
O mitraismo influenciou boa parte da maçonaria moderna, com seus ritos, mistérios e símbolos.

A fraternidade entre os membros, a exigência de uma conduta moral, a vontade de defender, de maneira ativa e não contemplativa, o bem e a virtude são, ao mesmo tempo, padrões maçônicos e mitraícos.
A defesa da ordem política e social, o culto exclusivamente masculino são também pontos comuns.

Ritualisticamente encontram-se os seguintes traços: a mania pelo número 7, a existência de graus iniciáticos, as velas, os altares, a Luz, as palavras de passe, etc.
 O templo maçônico pode ser visto como uma gruta mitraíca, a câmara de reflexões; o teto estrelado do templo tem profunda semelhança com os mitraícos.
Os templários, a tradição judaica e cristã foram os grandes transmissores de símbolos mitraícos.

 COMEMORAÇÕES

Consagrava-se o pão e a água, bebia-se o vinho que simbolizava o sangue do touro e comia-se a carne assada.

A liturgia constava de ofícios e orações; manducação de pão, de água e vinho, acompanhadas de fórmulas sagradas; danças de luzes e fórmulas de êxtase; orações ao nascer do Sol, ao meio-dia e ao ocaso.
 
Os celtas também tinham o costume de fazer sacrifícios ao Deus-Sol. Mas ao invés do touro, sacrificavam o Javali, símbolo do sol. Quem já leu as aventuras de Asterix sabe que toda vitória era comemorada com um grande banquete celebrado por toda a vila, em um Ágape Fraternal.
 
 Os cristãos  substituem o touro imolado e o sangue pelo pão e vinho egípcios: o pão representando o corpo de Osíris e o vinho o sangue de Osíris (“tomai e comei todos vós; este é o meu corpo e o meu sangue que é derramado por vós” é uma oração egípcia e representa o sacrifício de Osíris).
 
Com o tempo, as pessoas passaram a preferir a eucaristia vegetariana de Yeshua ao invés do banquete carnívoro de Mithra e o ritual de culto ao Deus-Sol acabou se transformando no que chamamos hoje de Eucaristia.
 
QUEDA

Com o cristianismo oficializado no Império Romano, pelo Edito de Milão, expedido por Constantino, os cristãos rapidamente tomaram os postos dos sacerdotes pagãos na sociedade, inclusive mantendo as festas, rituais, vestimentas e indumentárias mitraicas.

Em Roma o papa cristão passou a ser o Pontífice, substituindo de maneira pomposa o anterior chefe religioso pagão.

O cristianismo ao se tornar religião do Império Romano, se sobressaiu ao mitraismo por sua feição mais próxima das massas. O mitraismo era uma pratica com liturgia elitista em pequenas sociedades secretas na qual as mulheres eram excluídas, sendo muito disseminado entre os militares. Não se propunha ser uma religião de massa, aberto a todos, e os seguidores de mithra não tiveram a ideia de fazê-lo morrer para salvar o mundo.
Como os persas eram inimigos hereditários do Império Romano, os cristãos fizeram de tudo para ligar o mitraísmo a uma religião “inimiga”, persa por excelência, pois os romanos não deveriam adorar um deus importado do adversário.

Tertuliano presenciou as cerimônias de culto à mithra e chamou este ritual de “Paródia Satânica daEucaristia”, ou “Missa Negra” e muitas das histórias bizarras inventadas sobre o “satanismo” foram derivadas destes cultos.
 
 No Concílio de Toledo, em 447, a Igreja publicou a primeira descrição oficial do diabo, a encarnação do mal: “umser imenso e escuro, com chifres na cabeça e patas de bode”.Claramente uma mistura de Mithra, Pan e Cernunnus (entre outros).
 
O mitraísmo sobreviveu em Roma até 394 sendo que a Basílica de São Pedro foi construída sobre o local do último culto mitraíco: o Phrygianum. A partir daí, o cristianismo construiu, boa parte de seus templos, acima de cavernas que continham Mithrae, seja em Roma seja nas províncias do Império. A catedral de Canterbury e a de São Paulo em Londres, o mosteiro do Monte Saint-Michel e algumas catedrais em Paris estão construídas sobre antigos Mithrae em ruínas.
 

19 comentários:

  1. Cristo,não nasceu dentro de uma "caverna" ,ele nasceu n'um Estábulo,no qual lá moravam vários animais; O seu nascimento não foi anunciado por uma estrela,ele foi anunciado pelo Anjo Gabriel «Alegra-te cheia de graça,o Senhor está contigo!»
    A Eucaristia é um evento solene,repetido em todas as missas as palavras que Cristo disse: "Tomai todos e comei,este é meu corpo que será entregue por vós e por todos.Tomai todos e bebei,este é o cálice de meu sangue,sangue da nova e eterna aliança,que será derramado por vós e por todos,façam isto em memória de mim!"
    Sua paixão,morte e ressurreição é parte da Eucaristia,ela é o centro de toda a vida de Cristo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Enfim. Tudo não passa de mitologia.

      Excluir
    2. O culto mitra até aos dias de hoje, é selebridade nos cultos da igreja católica apostólica romana. Toda vez que o símbolo do sol é apresentado ao povo

      Excluir
  2. muito grato ajudou-me bastante em minha pesquisa ....mas devo acrescenta qee o mundo de hoje vive em uma mentira ....

    ResponderExcluir
  3. Sim, o cristianismo é mesmo baseado nisso tudo, agora o que o judaísmo tem a ver com tudo isso até agora não está claro... Injusto citarem a religião judaica junto com a cristã nesse caso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jesus era judeu…

      Excluir
    2. Se era Jesus era judeu porque é que veio alterar o judaismo e chamar as sinagogas de templos de satan?

      Voçes fazem muita confusão entre os judeus de Judah e os isrealitas , não sabem de nada.

      Aliás Jesus nem sequer se chamva Jesus, e muitos dos profetas nem sequer tinham nomes judaicos.

      Está na altura de ler a biblia e outros textos históricos , inclusivé , arqueológicos.

      Excluir
    3. ninguem sabe de nada. Tu é o espertão do pinto grande. Sai daí doido!

      Excluir
  4. hahahahah nunca vi tanta besteira escrita Osiris nao se sacrificou, ele foi assassinado por Seth e esse é apenas um dos detalhe falaciosos em meio a milhoes presentes neste texto cômico e degradante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Osiris???

      Mitologias...

      Só existe uma verdade, o resto sao posições várias e de diferentes prespetivas sobre a mesma realidade.

      A realidade é muito pior do que a ficção.

      Excluir
  5. O único Deus que se fez homem, se humilhou, foi flagelado, e crucificado na cruz, não foi Horus, Mithra. Foi Jesus. Isso não é mito. Isso aconteceu; isso é fato. Obrigado pela informação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é simples a história de Jesus é sim uma mistura de mitos pagãos,sacrifício humano,um filho de deus com humana,está na cara toda essa mentirada,o Eterno em nada tem a ver com tais descrições,ele é indivisível,incorpóreo e um.O NT é um livro forjado adulterado e quando cita passagens do AT como falam,as adultera e as traduz completamente errados e isso não é acidente é intencional mesmo,Roma foi muito inteligente e continuou o seu império de uma forma mais criativa e disfarçada,seus deuses pagão continuam a ser cultuado com nomes diferentes,porém continuam a ser adorados sim,estudem pesquisem e se forem honestos com vocês mesmos verão a verdade ,mesmo que não admitam!

      Excluir
  6. Mitra, maçonaria, isis, olho de horus e o resto, vão tudo pro inferno quando JESUS o único e verdadeiro Salvador vier e nos julgar por escrever esse tipo de baboseira.

    ResponderExcluir
  7. Sensacional o texto e os comentários.

    ResponderExcluir
  8. A quais as e de pessoas ofendidas é incrível, mas poucos são os que buscam informações para debater com firmeza e veracidade.Obrigado pela pesquisa ajudou bastante

    ResponderExcluir
  9. ninguem sabe de nada, somos todos curiosos, buscando a luz no fim do tunel.os antigos , não tinham internet e sabiam muita coisa,hoje o que sabemos através da net, veio de lá, com os egipcios , os gregos, os babilônios, e por ai vai.o que existe hoje é o que existiu no passado, tudo acontece dentro do mesmo principio, a evolução acontece, mas o principio é o mesmo.

    ResponderExcluir
  10. Excelente texto. Com certeza, muitos discordam porém, há bases e fundamentos que apontam justamente que o Cristianismo foi uma maquiagem feita para manipular as massas.

    ResponderExcluir
  11. Conhecereis A Verdade e a Verdade Vos Libertará

    ResponderExcluir